Início

30 de agosto de 2016

INSPIRAÇÃO: FRIDA KAHLO

Olá pessoal! Tudo bem com vocês? :) Inspiração para a cultura e arte e também para o empoderamento feminino, a pintora mexicana Magdalena Carmen Frieda Kahlo y Calderón, conhecida popularmente como Frida Kahlo, já tem seu nome gravado na História da Arte. Com um temperamento forte e atitudes muito a frente de sua época, Frida deixou como herança para a arte suas obras cheias de cores, simbolismos, sentimentos e personalidade.

Frida nasceu em 1907 e faleceu no ano de 1954, aos 47 anos. Quando criança teve poliomielite, ficando como sequela uma lesão no pé esquerdo. Aos 18 anos sofreu um gravíssimo acidente, onde o bonde no qual viajava chocou-se com um trem. Este acidente fez Frida passar por diversas cirurgias e ficar acamada por muito tempo, no qual começou a pintar com as tintas de seu pai e um cavalete adaptado à cama. Em 1928 ela conheceu o pintor muralista Diego Rivera, e se casou com ele no ano seguinte. Sua relação com Diego foi muito conturbada, visto que ambos tinham um temperamento muito forte e casos extraconjugais. Frida engravidou mais de uma vez, mas em consequência das sequelas deixadas pelo acidente, nunca conseguiu levar uma gestação até o fim. Em 1950, ainda em decorrência da poliomielite que teve na infância, teve sua perna esquerda amputada. Em seu atestado de óbito consta como causa da morte embolia pulmonar, mas não se descarta a hipótese de ter sido por overdose de remédios, acidental ou não. A última frase registrada em seu diário diz: "Espero que minha partida seja feliz, e espero nunca mais regressar - Frida."


As obras de Frida, em boa parte autorretratos, contém ao mesmo tempo muita vida e sofrimento, mostrando de forma simbólica ou explícita todas as suas dores, angústias, emoções e sentimentos. Através das suas cores, da sua forma de se vestir, de seus penteados cheios de adereços e de seus acessórios, também mostrou muito da cultura de seu país em suas obras. Em 1938, o poeta e escritor André Breton havia qualificado as obras de Frida como surrealistas, no qual Kahlo declarou mais tarde: "Pensavam que eu era uma surrealista, mas eu não era. Nunca pintei sonhos. Pintava a minha própria realidade."












Em decorrência das sequelas deixadas pela poliomielite que teve quando criança, Frida vestia calças, vestidos e saias longas para não mostrar as pernas, inclusive, ela usava sapatos adaptados com um salto maior que o outro para nivelar sua altura. Sua maneira de se vestir refletia muito da cultura de seu país e também já inspirou muitos estilistas e marcas famosas. Até mesmo a revista de moda Vogue México resolveu colocar Frida como capa em sua edição de novembro de 2012, reafirmando a figura de Kahlo não só como ícone da cultura e arte, mas também da moda. 


Muitas de suas vestes, como essas abaixo, estão expostas no Museu Frida Kahlo.



Há ainda muito o que se falar de Frida e sua influência, mas como este post ficaria gigantesco, resolvi resumir bastante. Se você se interessou pela arte e vida de Frida Kahlo, há muito material disponível sobre ela na internet, bem como livros e o famoso filme "Frida", de 2002, em que a ótima atriz Salma Hayek interpreta a maravilhosa Kahlo.

Espero que o post tenha sido interessante. ;) Deixe seu comentário!

Mil beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário